Tag: hipnose clínica

Hipnose e sono: onde um começa e o outro termina?

Hipnose é sono?

Hipnose é sono ou não é? Muitos perguntam-se qual a grande realidade do estado hipnótico. É sono ou não é? Estamos acordados ou não? Mas se estamos dormindo, podemos estar dormindo e ouvir tudo? Então podemos dormir acordados e ouvir e entender tudo o que falam?

Embora possa parecer complicado, é muito simples: hipnose é e não é sono.  Na hipnose você está e não está dormindo.

Qual a relação entre sono e hipnose?

Para alguns hipnotizados, hipnose é somente sono. Após o transe despertam com um pouco de preguiça, meio sonolentos, não lembram do que aconteceu e acham que dormiram de verdade ou que nada aconteceu.

Mas na verdade, hipnose é somente um tipo de sono. Hipnose é um tipo de sono em que você pode estar de olhos abertos, fechados, extremamente atento ou desatento, cheio de energia ou completamente exausto, pode lembrar de tudo, de somente de algumas coisas ou de absolutamente nada, pode ser perder nos pensamentos, se focar em apenas um, pode incrementar sua habilidade de solucionar problemas, ou piorar, caso seja este seu objetivo.

Qual a diferença entre hipnose e sono, então?

A única, suposta, diferença entre hipnose e sono é o agente provocador e influenciador do sono. Estes agentes podem ser: você mesmo (auto-hipnose, sonhos lúcidos), o hipnotizador (sono hipnótico), ou seu subconsciente (sono comum ou sono noturno).

Digo suposta pois ambos os tipos de sono promovem mudanças subconscientes, além de possuir agentes provocadores e influenciadores.

O papel do agente provocador e do agente influenciador do sono

O agente provocador tem como função induzir o estado do sono no indivíduo.

O agente influenciador tem como função coordenar e dirigir as funções necessárias para que as características e benefícios do sono estejam presentes.

O sono comum/noturno só começa quando o sono hipnótico termina. Todo sono é primariamente hipnótico, visto que deve-se possuir a intenção de dormir, o que é determinado pelo agente provocador do sono. Este será assunto de outro artigo.

Dormindo em alerta, hipnose de palco e sono REM e hipnose

Dormimos em alerta o tempo inteiro. Você está lendo um livro, assistindo um filme ou até mesmo olhando para um lugar qualquer, de repente alguém te chama e você nem nota. Neste sono hipnótico alerta você precisa de um estimulo maior para acordar.

No sono hipnótico alerta podemos comparar o sono hipnótico provado pelo hipnotizador com o sono REM, mas neste caso o agente influenciador do sono é o hipnotizador, não o subconsciente, e não há bloqueio dos movimentos físicos como no sono comum REM.

Exemplo: Se num show de hipnose o hipnotizador manda você dançar frevo, você está sendo influenciado pelo hipnotizador, mas sem o bloqueio dos movimentos físicos presentes no sono comum/noturno REM, que o impediriam de praticar o ato.

O dormir, o descanso e as características e benefícios no sono hipnótico e do sono comum/noturno

Quando falamos em sono, geralmente estamos falando de um momento de descanso, de reparo das energias, de tranquilidade, de extrema paz e bem-estar. Tanto no sono hipnótico quanto no sono comum/noturno podemos alcançar estes objetivos.

O sono hipnótico é particularmente especial quando bem utilizado no intuito de reestabelecer as forças, reharmonizar o indivíduo, reparar as energias, revigorá-lo para o dia-a-dia e tornar possível a reflexão de novas idéias, reprogramação de hábitos e mudança de crenças. No sono hipnótico o agentes influenciador e provocador podem ser o hipnotizador (hetero-hipnose) ou o próprio individual (auto-hipnose).

O sono comum/noturno pode  possuir todas as características e benefícios do sono hipnótico, mas segue um ciclo específico e uma rotina padrão, estabelecida pela hereditariedade da escala evolutiva humana, razão pelo qual foi criado. O resultado e objeto do sono comum pode muitas vezes ser mera influência do sono hipnótico.

O sono hipnótico pode ser experienciado diariamente de forma espontânea ou ritualística. Em alguns transes espontâneos ou ritualísticos a experiência do sono hipnótico pode gerar um pouco de cansaço ao invés do benefício do descanso. O mesmo ocorre com o sono comum/noturnoquando há um problema sua rotina padrão. Exemplo: Problemas ao dormir, sono não reparador, cansaço durante o dia, sensação de ter sonhado porém incapaz de lembrar o sonho.

No sono comum/noturno, o descanso não é alcançado quando algum dos problemas acima está presente em sua rotina padrão, embora não impeça que as outras características e benefícios comuns do sono estejam presentes.

Onde e como a hipnose pode ser utilizada?

A hipnose vem ganhando fama: agora é importante não tropeçar outra vez!

A hipnose como aliada à saúde e bem-estar ganha mais respeito e fama a cada dia que passa. E não é à toa. Pois, afirmo, as possibilidades e benefícios do uso do processo hipnótico são infinitas.

Porém, a forma como a hipnose é abordada por muitos, ainda limita o verdadeiro escopo de definição e utilização da hipnose. Para não correr o risco de continuarmos dando passos lentos, como no passado, é necessário definir e categorizar a hipnose e sua utilização.

Desenvolvimento do Controle Hipnótico

A prática hipnótica, direta ou indiretamente, sempre força e leva ao Desenvolvimento do Controle: Controle mental, controle comportamental, controle atlético, controle sensorial, controle terapêutico e controle metafísico são as primeiras categorias. Este controle pode ser desenvolvido em dois contextos hipnóticos: Contexto Hipnótico Individual e Contexto Hipnótico Grupal. Os contextos, por sua vez, podem ser aplicados pela hetero-hipnose, prática hipnótica onde o operador hipnotiza outra pessoa, ou pela auto-hipnose, prática hipnótica onde o operador é hipnotizado por ele mesmo.

Controle Hipnótico das Massas

Observação: O controle das massas também está associado a uma das categorias de uso da hipnose, mas explicarei em outro artigo, por tratar-se de um contexto de aplicação exclusivamente grupal e por ser um assunto quase raro, quando estudado no campo da prática hipnótica contemporânea.

Categorias do Desenvolvimento do Controle Hipnótico

As categorias abaixo focam-se à aplicação da hetero e/ou auto-hipnose como fenômeno individual, mas não limitam-se a mesma.

1. Controle Mental

Controle dos pensamentos e dos processos cognitivos.

2. Controle Comportamental

Controle de comportamentos compulsivos: roer unha, alimentação, parar de fumar (tabagismo); motivação à prática de novas atividades: incentivo à atividade física, estudos, leitura são algumas delas.

3. Controle Atlético

Aprimoramento do desempenho atlético, auxílio na recuperação muscular, na prática de atividades físicas, aceleração do metabolismo, no treinamento muscular autônomo e no auxílio do metabolismo específico de substâncias.

4. Controle Sensorial

Hipno-anestesia, hipno-analgesia, ajuda em preparos pré e pós cirúrgicos, controle da ansiedade e da percepção sensorial de modo geral.

5. Controle Terapêutico

Autoconhecimento, harmonização, controle emocional, desenvolvimento da autoestima, da autoconfiança e assertividade, facilitando o combate a depressão, tristeza, timidez, medos, fobias e outros problemas de cunho emocional.

6. Controle Metafísico

Experiências fora do corpo, sonhos lúcidos e mediunidade.

Criando um padrão de vida Hipnoticamente Positivo

Como pode-se notar, a prática e Desenvolvimento do Controle Hipnótico quando praticado e exercitado de forma positiva, traz inúmeros benefícios. Este Controle Hipnótico, em todos os contextos, serve como um recurso indispensável para a criação de um padrão de vida Hipnoticamente Positivo.

O outro lado da moeda

O desdém pelo Desenvolvimento do Controle Hipnótico, aumenta as chances da criação de um padrão de vida Hipnoticamente Negativo.

Ter uma vida hipnoticamente negativa é sucumbir com facilidade ao estresse, decepções, frustrações, problemas e dificuldades diárias.

Conclusão

Através da hipnose, é possível criar novos padrões positivos de funcionamento diário e gerar harmonia e bem-estar, no contexto individual ou grupal, através da hetero e da auto-hipnose.

Outro depoimento sobre meu trabalho através da hipnose/hipnoterapia é divulgado no site da Hipnoticus – Hipnose e Hipnoterapia em Brasília/DF

Mais um depoimento é divulgado no site da Hipnoticus, meu consultório aqui em Brasília/DF.

Davi queixava-se basicamente de uma timidez e insegurança geral, um problema que muitas pessoas sofrem aqui em Brasília. Vai uma palinha do depoimento abaixo:

“O trabalho desenvolvido na clínica foi além das minhas expectativas, foi surpreendente!”

Para ler o depoimento completo basta entrar no site da Hipnoticus – Hipnose e Hipnoterapia em Brasília/DF ou clicar no link abaixo:

http://www.hipnoterapia.org/en/hipnoticus/hypnosis-in-brazil/brazilia-df/testimonials-about-hypnosis-hypnotherapy/read/o-trabalho-desenvolvido-na-clinica-foi-alem-das-minhas-expectativas–foi-surpreendente

Qualquer dúvidas, opinião ou sugestão, basta enviar seu comentário abaixo.

Depoimento de cliente divulgado no site da Hipnoticus – Hipnose em Brasília/DF

Foi divulgado no site da Hipnoticus um depoimento sobre meu trabalho com a hipnose/hipnoterapia aqui em Brasília/DF. O cliente Ricardo Pereira Gustamantes (*), tratou-se comigo ainda no final de 2010. Ricardo queixava-se de stress, falta de controle mental, auto-confiança, auto-estima e de outros problemas.

Ricardo gostou muito do tratamento e mantivemos contato desde as primeiras sessões até os dias atuais, posso, até mesmo, considerá-lo um amigo.

Bem. Melhor que minhas palavras, somente as dele:

Leia o depoimento completo no site da Hipnoticus – Hipnose em Brasília/DF clicando aqui ou através do link abaixo:

http://www.hipnoticus.com.br/pt-br/hipnoticus/depoimentos-sobre-a-hipnose-hipnoterapia-em-brasilia

Qualquer dúvida sobre o tratamento, postem abaixo nos comentários e terei o maior prazer em esclarecê-las.

Hipnose no Wall Street Journal (WSJ)

A hipnose recebeu destaque no Wall Street Journal.

Leia o artigo completo no link abaixo:

http://online.wsj.com/article/SB10001424052702304444604577337542464817590.html