Positividade não é algo ruim. Sua positividade não é algo ruim. Apenas não deve ser confundida com o que vem de fora. Sua positividade não é a visão de realidade encontrada por ou exposta por outro. Sua positividade não deve se diluir ou fazer concessões através de pedidos de desculpas. Sua positividade é unicamente sua e inquebrável, deve ser respeitada e imperdoável.

Armas Contra a Positividade

Piedade

Piedade e autopiedade são formas de abrir um buraco de crescimento oportuno no coração daquele que é positivo. Se veio de fora não é bom. Se veio de argumentação, não é bom. Se houve crítica inicial, não é bom. Se faltou um pingo de sensibilidade real, não é bom. Se houve motivo para duvidar, por um milésimo de segundo não é bom. Se não foi 100% bom, não, não é bom.

Amor

Amar a si é dar exemplo para quem pode aprender. Amor é o convite para destruição daquele que é positivo. “Se você pode amar, prove, venha, mostre, demostre”. Não prove, não vá, não mostre, não demostre. A cobrança é a prova da inexistência de amor cerceando seu livre-arbítrio. Seu amor é seu e para você. O amor de outrem deve ser por ele, e o contato entre as partes acenderá uma chama maior sem a necessidade de esforços para senti-la ou cultivá-la.

Sacrifício

Nem ao menos uma vez o faça. Sacrificar a positividade a serviço de outrem é o maior dos pecados. Só se doa parte daquilo que é íntegro, e tal doação jamais subtrai, só soma. O sacrifício da sua positividade lhe custará caro por quanto mais vezes acreditar que deveria tê-la de substitui-la por apenas um momento de algo ruim. Sua positividade é insacrificável. E é sua.

LEIA TAMBÉM:  Hipnose e a causa do problema. Regressão: parada obrigatória?

Início: Positividade – Parte 1