MUNDO NARCISISTA: A Origem dos Traumas das Vítimas de Abuso Narcisista

Vem de uma traição que dói, e dói muito. Vem de uma traição da única pessoa que você acreditava poder confiar.

Então você confia e é traído. Você pensa em confiar e é traído. Você não tem a opção de não confiar, e é traído. Você perdoa e quer confiar de novo, e é traído mais uma vez. É uma máscara de falsa confiança que, por milhares de vezes, cai, se arrepende (sic), até chora, lamenta o ocorrido, apela para pedir perdão e corre atrás. Então tudo começa de novo, e não tem fim. É viver em um hospício, confiar em loucos, mas não parece, então por que não tentar de novo? Você confia e é traído.

Sintomatologia Inicial

Sua resistência ao stress, a decepção e a frustração foram propositalmente dizimadas após semanas, meses, anos de exposição diária a confusão mental, dissonância cognitiva, fingimento e pregação de peças. Você começa a viver um transe hipnótico, e dos piores: uma confusão hipnótica demoníaca, que só pode ser revertida com a própria hipnose. Você consegue lembrar da primeira vez que ficou sem chão. Logo você, tão resistente, cheio de vitalidade, confiança e energia. Mas nesse primeiro momento você pode só suspeitar, e não sabe ainda para onde apontar o dedo. Vem então o segundo tropeço, você está no limbo, entre o bem correto e o mal eterno, o fundo do poço, determinado a tirar a própria vida. Você confiou de novo. Você perdoou quem não perdoa e quem não se perdoa. Você entregou a alma, de coração, ao diabo, mas sem saber; e foi enganado.

Você começa a sentir tontura. Os passos ficam pesados. A cabeça parece querer abaixar sozinha. Os pensamentos tem vida própria e são ruins, aqui você perde o controle. É vergonhoso, inaceitável. Você se culpa. Você se agita. Mas em vão. Olhando para os lados, ninguém pode te ajudar, e ainda te atrapalham. Jogam contra você. Mas como podem? “Alguns nem sabem de nada (ou não deveriam)”. Mas sabem e tem alguém bem perto daí controlando tudo isso, milimetricamente, regozijando cada olhar perdido e suspiro de desespero seu. Cada nova demonstração de despreparo e de falta de confiança da fortaleza que você era e sempre foi (e no fundo ainda é, sim, ainda é).

Se o sono já não era dos melhores, começa a ficar pior. Se já era dos piores, deixa de existir. Pesadelos são constantes e nele estão refletidas suas compulsões mentais e a nova falta de controle. O que está acontecendo? Sua alma foi roubada. É um transe. É uma hipnose, uma hipnose ruim; desenvolvida e aplicada estratégica e especificamente para te derrubar pelos elos que você mais valorizava.

“Há um acordo entre pessoas boas, dignas, saudáveis, honradas, entre pessoas normais. Tal não faria isso, tal não faria aquilo”. Este foi seu ponto fraco.

Sintomatologia Estável

Dor no peito, tensão nos ombros, dor de cabeça, torpor na testa e cansaço. Você tem vergonha dos seus próprios passos. Autoestima? O que é isso? Você é um zumbi, fingindo estar vivo.

Mas agora você desconfia ou já sabe quem está por trás disso tudo: o narcisista.

MUNDO NARCISISTA: ELE É A MENTIRA, E NÃO O PAI DELA.

MUNDO NARCISISTA: Ele é a mentira, e não o pai dela.

O narcisista quer encontrar um inferno na sua vida. Na ausência, ele próprio o criará. O insignificante se tornará um problema demoníaco. Ele lhe venderá o problema como necessário, com palavras bonitas e sob as vestes da conquista de uma importante obstinação.

O narcisista é um demônio; rei da hipocrisia e mestre das falsas promessas. Espalha seus segredos, cria intrigas e te afunda em redundâncias inúteis. A ordem de vida dele é buscar o fútil, o desnecessário e o caótico. As vestes de bondade tornam a magia e a maldade narcisística incompreensíveis e, uma vez compreensíveis, assombrosas.

O narcisista não é o pai da mentira, ele é a própria, e a vive desenvergonhadamente; a comemora, a regurgita e se alimenta das fétidas somas da hipocrisia que ela cria.

O narcisista não é o pai da mentira, ele é a mentira.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (3 votos, média: 4,67 de 5)
Loading...

 

Positividade – Parte 2

Positividade não é algo ruim. Sua positividade não é algo ruim. Apenas não deve ser confundida com o que vem de fora. Sua positividade não é a visão de realidade encontrada por ou exposta por outro. Sua positividade não deve se diluir ou fazer concessões através de pedidos de desculpas. Sua positividade é unicamente sua e inquebrável, deve ser respeitada e imperdoável.

Armas Contra a Positividade

Piedade

Piedade e autopiedade são formas de abrir um buraco de crescimento oportuno no coração daquele que é positivo. Se veio de fora não é bom. Se veio de argumentação, não é bom. Se houve crítica inicial, não é bom. Se faltou um pingo de sensibilidade real, não é bom. Se houve motivo para duvidar, por um milésimo de segundo não é bom. Se não foi 100% bom, não, não é bom.

Amor

Amar a si é dar exemplo para quem pode aprender. Amor é o convite para destruição daquele que é positivo. “Se você pode amar, prove, venha, mostre, demostre”. Não prove, não vá, não mostre, não demostre. A cobrança é a prova da inexistência de amor cerceando seu livre-arbítrio. Seu amor é seu e para você. O amor de outrem deve ser por ele, e o contato entre as partes acenderá uma chama maior sem a necessidade de esforços para senti-la ou cultivá-la.

Sacrifício

Nem ao menos uma vez o faça. Sacrificar a positividade a serviço de outrem é o maior dos pecados. Só se doa parte daquilo que é íntegro, e tal doação jamais subtrai, só soma. O sacrifício da sua positividade lhe custará caro por quanto mais vezes acreditar que deveria tê-la de substitui-la por apenas um momento de algo ruim. Sua positividade é insacrificável. E é sua.

Início: Positividade – Parte 1

Positividade – Parte 1

O Único Caminho

Você não pode ser 100% positivo se não souber reconhecer algo ruim. Positividade e otimismo não é para quem é negativo e pessimista, ou para quem não pode sequer compartilhar da sua positividade. Positividade e otimismo são para você, apenas para você. Você os gera, você os rege e não os doa a ninguém. Você sabe que alguém positivo se cria sozinho, como você o fez. Você sabe que o que você ilumina é compatível apenas com os que também poderiam iluminar, e não para os que procuram a luz explorando parasitariamente a que você oferece, vestido com uma capa de hipocrisia.

Percebe-se que eventos, pessoas, ideias advindas de outrem que possuem ou possuíram presença constante impedem o cultivo e crescimento da positividade.

Sinergia positiva não vem senão após períodos de testes e provações: maturidade e estabilidade. Assim são e devem ser todas as relações humanas.

Sinergia positiva chega sem que alguém ofereça algo ou sem que alguém demonstre estar pronto para receber algo: é vivido mutuamente e é inseparável. Não há esforço para compreensão, pois são a mesma coisa: um único ser, porém duas pessoas.

Afastando-se das Influências Negativas

Não é seu ofício mudar ninguém. Não gaste tempo ou esforço tentando mudar alguém. O tempo prova quem está buscando o melhor e quem não está, quem está buscando melhorar e quem não está, quem tem dificuldades reais e quem não tem. Siga sua intuição e saberá reconhecer. Pessoas são suas influências mais diretas. A não ser quando alguém é um polo exclusivo de negatividade, este se mantém num ciclo infinito de autodestruição e de automanutenção negativa o tempo todo.

Identidades e Papéis

Você só pode ser enganado por quem confia. Escolha em quem confiar e confie acima de tudo em você e no seu próprio julgamento. Familiares, cônjuges, “amigos”, estes podem lhe trair profundamente e deixar marcas. Pessoas com as quais você mantém contatos superficiais só podem lhe causar poucos danos e serem superficiais. Sempre que possível se afaste e reorganize seu espaço e as pessoas com quem interage. Não sendo possível, reduza a quantidade e intensidade das interações.

Negatividade e Verdade

Uma vez mergulhado na negatividade, seja pelo ambiente, pelas pessoas com quem se envolveu, por intenções ou quaisquer outras coisas que sejam, você já estará destruído e transformado em outro ser. Recupere-se para voltar a ver com clareza e para se enxergar novamente do modo que você realmente é. Lembranças primárias de bons momentos ou boas sensações podem ser pobres inicialmente, mas farão com que você tenha certeza de que já foi algo diferente, original e único, que possui assinatura própria, que merece a glória de ser bom como se realmente é e de que tem valor.

Positividade e Verdade

Você só cultivará o que é positivo dentro de você. Jamais fora de você. Projetar o bem que sente sem reconhecer que, antes, esta positividade vem de você, em primeiro lugar, é o maior erro que alguém pode cometer; confie em si próprio.

Quadros Comuns: Depressão, Síndrome/Vítima de Abuso Narcisista, Trauma, Transtorno de Estresse Pós-Traumático, Transtorno de Estresse Pós-Traumático Complexo, Ansiedade, Pessimismo, Pensamentos Negativos, Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC), Descontrole

Continuidade: Positividade – Parte 2

Hipnose: Autoconfiança Espontânea e Definitiva

O que é autoconfiança?

Autoconfiança é a sensação natural de estar sob controle de si próprio. Pessoas autoconfiantes sentem-se confortáveis consigo mesmas, com o que fazem e com tudo o que ocorre ao seu redor.

Lidar com eventos inesperados com serenidade é a maior demonstração de autoconfiança. O homem autoconfiante sente-se capaz, confortável e calmo com as circunstâncias diárias de sua vida, sejam negativas ou positivas.

A confiança pessoal tem como base equilíbrio, harmonia, firmeza e autocontrole.

Como ser autoconfiante?

Para ser mais confiante é preciso dominar o jeito certo de lidar com as circunstâncias ao nosso redor e com nós mesmos. Autoconfiança é autoconhecimento. Autoconhecimento é aprendizado constante. Quando alcançamos este nível constante de aprendizado, somos confiantes. Ter confiança é aprender a aprender. Ter confiança é se adequar ao novo com calma e serenidade. Ter confiança é enxergar o mesmo de sempre com o olhar novo do agora.

Não ter confiança é estacionar no mesmo lugar. Não ter confiança é parar de aprender. Logo, novas ideias sobre os mesmos acontecimentos trazem mais confiança. Já as mesmas ideias, podem diminuí-la.

Mesmo não sendo um assunto comumente discutido, a autoconfiança é a origem de todo comportamento, ação, atividade, exercício e prática profissional. Autoconfiança é algo aprendido. Autoconfiança é algo que se desenvolve. O aprendizado de qualquer atividade requer o desenvolvimento da autoconfiança, sem ela, nada pode ser feito. O simples hábito de andar requer confiança: confiança em caminhar, em sentir os pés firmes no chão, e o esquecido fato de que um dia, já tentamos andar e por muitas vezes, ao tentar fazê-lo, caíamos.

Confiança em agir, em fazer, em atuar de determinada forma, é algo passado de um ser humano para o outro. Aprende-se a ser confiante, fazendo o mesmo que alguém confiante já fez antes. Através do exemplo e da adaptação das circunstâncias individuais e naturais do aprendizado.

Quando falamos em autoconfiança em sermos quem somos, falamos basicamente em nos sentir bem na própria pele. E isto, todos devem aprender a desenvolver diariamente. A mesma sensação de confiança deve existir em diferentes atividades profissionais, como na do advogado, do desenvolvedor de software, do vendedor, do professor, do administrador e do atleta, praticante de atividades físicas quaisquer que sejam elas. Deste modo, a confiança refere-se ao fato de nos sentirmos bem com o que fazemos e com o que vivemos. Toda atividade diária requer confiança e, naturalmente, mais confiança, parar gerar mais tranquilidade, conforto e calma.

Como a hipnose ajuda a ter mais confiança?

A hipnose, por si só, é um estado de aprendizado. Ao usar o estado hipnótico e os paralelos hipnóticos: aplicações e técnicas hipnóticas que nos transformam de dentro para fora, podemos deliberadamente escolher e guiar nosso cérebro, nossa mente e quem nós somos de um novo modo, nos posicionando de formas não limitantes ao novo e ao que desejamos obter.

A hipnose lhe coloca num estado onde sua mente para por alguns instantes. Na hipnose sua mente para e lhe permite aprender mais, através de palavras, comandos, símbolos e com o uso da sua imaginação, lhe adaptando a novas situações de formas que você não saberia como fazer sem ela.

O uso da hipnose é o único caminho que lhe permite ter domínio total sobre seu ser e ter autoconfiança total em qualquer meio e em qualquer área da sua vida.

Minimizando momentos de hesitação, de dúvida, de mal-estar, de inadequação, a hipnose lhe traz certeza constante de que tudo está e ficará bem. Ela trabalha lhe colocando num constante estado onde o que quer que ocorra, nada lhe afetará, onde você saberá como agir, ou como não agir. Este é o nível maior de autoconfiança que se pode obter: confiança total. E este nível de confiança possui crescimento ilimitado.

Tratamento Individualizado

O tratamento individualizado começa com o mínimo de 10 sessões e tem duração de 6 meses nos quais lidamos com todo o tipo de sensação, pensamento e limitações individuais. O tratamento é iniciado com a higienização mental de 1 mês, seguido de 10 sessões pré-agendadas e possui garantia e acompanhamento vitalícios para no caso de recaídas e na necessidade de reaver resultados obtidos anteriormente a qualquer momento da sua vida.

Condições psicológicas, psiquiátricas e médicas também são levadas em consideração como: depressão (mín. 20 sessões), bipolaridade, baixa autoestima, ansiedade sendo as mais comuns em casos de baixa autoconfiança.

Agende Suas Sessões Agora e Faça Seu Tratamento de Qualquer Lugar do Mundo.

Autotratamento

Disponibilizamos também o autotratamento em áudio com a Solução Hipnótica Confiança Total.

A Solução Hipnótica Confiança Total é um áudio que permite que você faça seu autotratamento diário no horário e local mais convenientes pra você, lhe dando resultados melhores do que qualquer outro tratamento disponível, até mesmo em consultório.

Adquira nossa Solução e revolucione sua vida. Tratamento mínimo de 30 dias.

Original: https://www.hipnoterapia.org/pt-br/blog/2017/07/28/hipnose-autoconfianca-espontanea-definitiva/

PNL é hipnose. Hipnose sistematizada.

Hipnose vs. PNL. Ou seria Hipnose = PNL? Ou, ainda melhor, PNL = Hipnose?

Hipnose

A hipnose é uma abordagem generalista que trabalha com sistemas humanos de qualquer forma que seja pensada ou discursada. Independentemente da linha técnica ou filosófica de estudo, não há uma integração de representatividade interna, uma estabilidade de aplicação, mas sim de processos genéricos (transe profundo vs. transe leve, esqueceu vs. não esqueceu). É como nadar. Todos nadam, até os que não sabem aprendem no desespero pra não morrerem afogados. Pouco pode-se correlacionar entre o pensamento de um autor e de outro tratando-se de eficácia e discurso. O chão da concordância técnica na hipnose é pequeno. Isto deve-se ao fato da hipnose ser estudada como estado, não como processo. Erro, diga-se de passagem, que Kappas não cometeu. Já não pode-se falar o mesmo de Erickson, Elman e outros. Na hipnose todo conhecimento humano é conhecimento humano. A hipnose é o transe que pode redefinir esta estrutura, que nunca deixará de ser humana. Mas a hipnose como área de conhecimento não te obriga a pensar no problema como uma questão do campo hipnótico, ela te mantém no campo humano.

PNL

A PNL é uma abordagem específica que trabalha com os sistemas humanos seguindo suas próprias regras. Há apenas uma PNL. Os termos foram criados e são compartilhados em artigos, livros e profissionais. A discordância e discrepância entre seus íntimos é no máximo um exercício de criatividade técnica. No sistema da PNL todo conhecimento humano torna-se PNL e facilita por si só o estudo deste conhecimento. Modelagem, muitos chamam. Algo que você vê, ouve, sente (sistemas representacionais) alguém fazer e pode repetir tão bem quanto. O problema humano aqui agora é um problema do campo da PNL, não do campo humano.

Integração de Sistemas

Quando a hipnose se une a PNL, sua irmã mais nova introduzida a humanidade há pouco menos de 50 anos, ela ganha estrutura séria. Deixa de ser vista como estado e começa ser vista e enxergada como processos. Processos de mudança. Processos subconscientes, processos inconscientes, processos a curto, médio e longo prazo. Por obrigação clínica, pode-se dizer, a PNL dá roupa a essência da hipnose. Você não pensa na hipnose usando Sistemas Representacionais, Linha do Tempo, Dissociação Visual Cinestésica, Swish, Padrões de Linguagem, Meta Modelo ou Modelo Milton até a chegada da PNL, vindoura dos modeladores de Erickson. Bander e Grinder. Na hipnose você diz: induz o ESTADO, aprofunda o ESTADO, trabalha com o ESTADO, gerencia o ESTADO e desperta a pessoa do ESTADO. Uma limitação teórica que pode dar dor de cabeça. Pois o que é o estado? Qual o melhor estado? Há um estado correto? O hipnotizado está no estado ou fora dele? E se o estado estiver errado? E se estiver, o que há de bom nisso? E se o estado, não for o estado? E se o bom do estado não for do estado, for da dinâmica, usada em qualquer estado? E se a necessidade do estado não existir? E se o estado estiver errado? A PNL libertou a hipnose do estado. Pode-se dizer primeiramente que este foi mérito de Erickson e não da PNL. Até por que, o desfavor que a mesma fez ao espírito de Erickson, enquanto simplificava sua terapêutica e linguagem, foi grande. Mas, quem liga? Rossi. Rossi, Brooks, Gilligan e Betty ligam.

O Legado de Erickson

Erickson era um mago criador, não um conjunto de regras rígidas a serem registradas. No mínimo, todo treinamento que envolve Erickson e sua alma, caso da PNL, deveria quadruplicar a criatividade de seus alunos. O que sabemos que não ocorre. Erickson era a solução para o eterno mundo sem graça mecanicista. Mais ainda pedagogicamente. Era impossível sistematizar Erickson em uma década. Bandler e Grinder sentiram isto. Gilligan, Rossi, Betty e Brooks também. Mas estes últimos, ao invés de parar nos 10, foram até a eternidade. Marcaram a história da hipnose como verdadeiros discípulos de Erickson. São orgulhos da hipnose indireta, pregada pelo seu mentor, que representa a maior compreensão do significado da palavra inconsciente já antes visto.

Erickson jogou fora o estado e abraçou o resultado. A eficácia, a penetrante capacidade de perceber e mudar o que é importante. E a PNL sistematizou isso. Só que antes de sistematizar Erickson, sistematizou suas próprias intenções, dando espaço para sistematizar a todos, criando um intercâmbio epistemológico pouco admirado por profissionais de PNL e hipnose hoje.

O Preço do Sistema

Hoje então o que era a simples imaginação humana é ensaio mental, é ponte ao futuro e lembre bem que imagina-se com os ouvidos, com o corpo e com todos os outros sentidos também. O que antes era regressão e projeção, agora é linha do tempo. O que antes era uma sugestão poderosa agora é padrão de linguagem. E pode ter nome de gente. Destruir uma imagem e substituí-la por outra não é mais um exercício óbvio de abstração, mas sim um swish. E nós agradecemos. A riqueza da PNL não matou a hipnose pela própria obstinação da mesma pelo estado, da qual já se libertou há muitos anos. Se Elman apostou nele, Kappas o desconstruiu, Erickson o abandonou e estamos hoje aqui: sem obrigação alguma com o estado, mas cheios de obrigação com o resultado.

Ao longo da história, para hipnose, o estado é o que fascina. Já a PNL chegou para lembrar o que os fascinados vieram alcançar.

Older Posts